Tristeza em menino - adaptação dos filhos em outro país

Como ajudar na adaptação dos filhos em outro país?

5
(3)

Por diversas razões, as famílias brasileiras tem deixado o país e optam por criar seus filhos na Europa. Saúde, segurança e educação de qualidade estão entre as principais razões – além das ofertas de trabalho. Entretanto, diante dessa decisão, surge a inevitável pergunta: “como será a adaptação dos filhos em outro país?”.

Embora as crianças aprendam e se adaptem rapidamente às novas situações, não significa que uma mudança para outro país será fácil para elas. Pois, assim como nós, elas também estão abrindo mão de vários aspectos importantes de suas vidas. No entanto, é possível tornar essa experiência menos traumática.

O processo de adaptação dos filhos para a vida em outro país começa muito antes da mudança propriamente dita. É fundamental permitir que eles tomem conhecimento sobre como tudo acontecerá. Contar para eles sobre o novo país, mostrando fotos do local e apresentando costumes e idioma podem colaborar para que eles criem maneiras de diminuir a sua ansiedade frente a tantas novidades.

Entenda que a adaptação dos filhos é um processo

A adaptação dos nossos filhos no exterior pode ser lenta e difícil, e é por isso que eles precisam da nossa constante ajuda. É essencial que possamos perceber, dentro da sua fase de desenvolvimento, quais são as suas dificuldades e dar espaço para que eles possam expressá-las.

Criança olhando pela janela com semblante sério
Foto de Joel Overbeck no Unsplash

A psicóloga Violet Oaklander afirma que as crianças costumam ser reativas e muitas vezes não encontram palavras para expor suas dificuldades. Dessa forma, poderão expressar seus sentimentos frente à mudança através de alguns comportamentos, como:

  • Agressividade, irritabilidade ou raiva
  • Choro constante
  • Resistência em frequentar a nova escola
  • Medo de sair sozinho
  • Regressão de alguma fase de desenvolvimento
  • Falta de apetite
Leia também:  As delícias e desafios do casamento multicultural

Assim, esses comportamentos podem denunciar a dificuldade de integração de seu filho. São sentimentos genuínos e, portanto, não devem ser entendidos como sendo “errados”. A compreensão desta dinâmica fortalece o vínculo com nossos filhos e ajuda a superar as adversidades da vida.

Meu filho não se adaptou, e agora?

Em um primeiro momento, a novidade sobre a mudança para outro país pode criar um sentimento de grande expectativa e empolgação em nossos filhos que, posteriormente poderão ser substituídos por certa nostalgia.

É muito comum (e esperado) os filhos chorarem de saudade e fazerem comparações entre as suas vidas antes e depois da mudança (e geralmente a vida anterior parece ser muito melhor para eles nesse momento!). Esteja presente e ouça o que seu filho tem a dizer. Ele se sentirá fortalecido ao sentir que vocês estão lado a lado.

Após ouvi-lo, você poderá pontuar o que acha de positivo na vida no novo país, proporcionando condições para que ele visualize a situação sob uma nova perspectiva.

Não tenha vergonha, busque ajuda

A busca por um profissional também pode ser muito benéfica. Nataly Gomes mudou-se para Almere juntamente com seu marido Matheus e a filha Malu, de seis anos e meio. Eles estão na Holanda desde maio deste ano. De acordo com ela, a maior dificuldade em relação à adaptação da Malu no novo país foi em relação à escola.

Ela nos conta que o que a ajudou foi o acompanhamento psicológico para a filha, iniciado ainda no Brasil. Devido aos resultados obtidos, Malu segue em acompanhamento, agora em Amsterdã, com uma psicóloga brasileira.

O contato com brasileiros na mesma condição também pode se revelar de muito auxílio. Incentive-o a fazer novas amizades. As relações com brasileiros que moram na mesma cidade e que estão na mesma faixa etária são bem-vindas e trazem um sentimento de familiaridade. Logo, a criança se sentirá segura o suficiente para ampliar seu círculo social e se relacionar com as outras crianças locais.

Leia também:  Sistema de saúde em Portugal: saiba tudo

Permita que seu filho mantenha contato com seus amigos do Brasil através das redes sociais. Relacionamentos fortalecem e asseguram apoio. Além de proporcionar a conexão com a língua materna, pode ser uma maneira muito efetiva de lidar com a saudade. Quem sabe ele não se anima em criar um blog ou um canal no Youtube para dividir as experiências de viver em outro país!? Tudo com supervisão adulta, é claro!

Família unida na adaptação dos filhos

Façam passeios juntos! Por toda Europa existem vários locais de lazer para crianças de todas as idades. Conheçam os parques, praças, as ruas. Isso poderá ser muito eficaz para diminuir a sensação inicial de estranhamento.

Mãe e filhos em banco vendo a paisagem
Foto de Benjamin Manley

Lembre-se: nossos filhos são nossos reflexos! Eles enfrentarão as situações do dia a dia baseando-se na leitura que fazem da forma como nós nos comportamos diante da vida. Portanto, se eles entenderem que a mudança para o exterior é envolta de muita dificuldade, provavelmente irão encarar o processo dessa forma.

Se oferecermos a eles a oportunidade de encarar a mudança de uma forma otimista, eles poderão acalentar seus medos e se sentirem mais seguros e confiantes.

Não esqueça que cada criança é única e tem seu próprio tempo para se adaptar a tantas novidades. Haverá dias mais tranquilos e outros nem tanto. Sair da nossa zona de conforto nem sempre é prazeroso, mas é uma ótima oportunidade de crescimento, para nós e para nossos filhos!

Como foi a sua experiência com a adaptação dos teus filhos no novo país? Conta pra gente!

Gostou do artigo? Compartilhe com outras mães 🙂

Queremos saber o quanto esse artigo foi útil pra você!

Por favor, deixe sua avaliação.

Resultado 5 / 5. Número de votos: 3

Seja o primeiro a avaliar...

Nós lamentamos muito que você não está satisfeita com o artigo.

Ajude-nos a escrever artigos mais úteis e informativos!

Por favor, deixe sua sugestão em como melhorar esse artigo.



Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.