Barriga de gestante que terá parto na Bélgica

Pré-natal e parto na Bélgica: saiba tudo

5
(6)

A notícia da chegada de um bebê traz um misto de alegria e dúvidas, ainda mais quando se está em um país diferente. Eu estou vivendo isso pela segunda vez na Bélgica. Gostaria de compartilhar minha experiência e informações sobre pré-natal e parto na Bélgica. Assim, outras mães podem ter acesso a informações que me ajudariam muito nesse processo da primeira vez.

Quando o teste de urina dá positivo

No momento que se tem o positivo do teste de urina, a indicação aqui na Bélgica é procurar inicialmente o médico da família (clínico geral). Ele mesmo coleta o sangue para a confirmação e pede exames iniciais, além de realizar exame de urina e explicações gerais do funcionamento do pré-natal.

Foto de ultrassom de bebê que vai ter parto na Bélgica
Foto de Daiga Ellaby no Unsplash

Após essa primeira consulta, você deve escolher um ginecologista que, alternadamente com o médico de família, irá fazer o acompanhamento da gravidez.

Este é o caminho mais comum, mas ainda existe a opção de ser acompanhada daí em diante apenas pelo ginecologista (o que custa mais caro). Ou, ainda, por midwife (enfermeira obstétrica), se você tiver intensão de ter um parto domiciliar ou em casas de parto.

O acompanhamento da gravidez na Bélgica segue as orientações da L’ONE na Valônia (região francofônica) e do Kind&Gezin na região dos Flandres (onde se fala flamengo/holandês).

Quanto custa fazer o pré-natal na Bélgica?

O sistema de saúde na Bélgica é gerido pela contratação obrigatória de um seguro de saúde (mutuelle/ziekenfonds), que pode estar incluso na seguridade social do empregado. Com esse seguro, você paga apenas uma coparticipação mínima a cada consulta (com tarifas diferentes entre médico da família e ginecologista).

O seguro de saúde é obrigatório, mas é opcional aderir a um seguro de hospitalização, que irá complementar as despesas relacionadas ao parto. Por isso, sugiro que se você tem a intenção de ter filhos na Bélgica, contrate um. Mas, atenção, não se esqueça de perguntar o período de carência desta segunda opção.

Leia também:  As dores e delícias do parto no exterior

E quanto custa o parto na Bélgica?

Os custos do parto hospitalar irão depender de alguns fatores, tais como: aderência a um seguro hospitalização e se o ginecologista cobra ou não uma taxa adicional. Além disso, o preço de todo o procedimento será alterado se você optar por um quarto individual. Normalmente, o tempo no hospital após o parto é de, em média, três dias.

Quando se opta pelo parto domiciliar ou em casa de parto (menores custos), este é assistido apenas por midwives e não tem custo adicional. Apenas se houver necessidade a gestante será transferida para o hospital.

Barriga de gestante e pai segurando sapatinho de bebê que vai nascer em parto na Bélgica
Foto: arquivo pessoal

O que mais tenho direito no parto na Bélgica?

São ainda direitos (sem custos ou com mínima coparticipação) no pré-natal e parto na Bélgica:

  • Assistência domiciliar de midwife antes e depois do parto
  • Fisioterapia pré e pós-natal
  • Prêmio financeiro de nascimento oferecido pelo governo
  • Viajar de primeira classe no trem com um bilhete de segunda classe nos últimos quatro meses da gestação
  • Auxílio nas atividades domésticas e com o bebê após o nascimento por alguns dias (soins de maternité/kraamzorg)
  • Auxílio financeiro mensal por filho após o parto

Afinal, como foi meu parto na Bélgica?

Na Bélgica o parto normal é o mais indicado. A cesariana ocorre apenas em alguns casos, como emergências, por exemplo. O meu primeiro parto foi em um hospital assistido por enfermeiras e, ao final, o ginecologista estava presente.

Posso afirmar que se tratou de um parto normal, mas não natural, pois tive inúmeras intervenções médicas além da anestesia (necessária após aplicação da ocitocina).

Bebê recém-nascido em hospital
Foto de Charles Eugene no Unsplash

Existem alternativas

Na segunda gravidez, estou fazendo acompanhamento com uma midwife especialista em parto humanizado.

Annemie tem uma casa de parto, a Geboortehuis Isis, desde 1987 em anexo a sua casa em Tienen, além de uma sala de parto no hospital da cidade. Realiza, junto com sua equipe, partos não apenas nestes dois locais, mas também em domicílio e acompanhamento de gravidez e pós-parto.

Leia também:  Dicas para se preparar e amamentar sem problemas

Segundo ela, a maioria das mulheres pode ter um parto natural, desde que confiem em si e estejam assistidas por uma profissional que dê condições para que este seja possível. A mulher é quem deve escolher, diante de uma gravidez sem complicações, como e onde deseja que seu parto ocorra.

Quando a gravidez não é desejada

Caso a mulher tenha engravidado sem querer, ela terá três opções:

  • realizar a gravidez e manter a criança 
  • realizar a gravidez e entregar a criança temporariamente para a assistência social ou definitivamente para adoção
  • interromper a gravidez

Se a mulher quiser interromper a gestação, ela tem direito a fazê-lo legalmente no país até as 14 primeiras semanas. Basta informar o médico da família para que ele continue o processo, com o consentimento da mulher, ou procurar um centro de aborto diretamente. Saiba mais no site oficial do Kind & Gezin.

A minha experiência é na região flamenga da Bélgica (Flandres). Alguns benefícios e valores, além da cultura e língua, são diferentes nas outras regiões – Valônia e Bruxelas. Se você já passou pelo parto nessas outras regiões belgas e quer contar suas impressões, comenta aqui!

E se conhece alguma brasileira grávida ou que esteja pensando em ter filhos na Bélgica? Conta pra gente!


Queremos saber o quanto esse artigo foi útil pra você!

Por favor, deixe sua avaliação.

Resultado 5 / 5. Número de votos: 6

Seja o primeiro a avaliar...

Nós lamentamos muito que você não está satisfeita com o artigo.

Ajude-nos a escrever artigos mais úteis e informativos!

Por favor, deixe sua sugestão em como melhorar esse artigo.



Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Que legal seu blog. Eu também me mudei recentemente para Bélgica por causa de uma oportunidade de trabalho do meu marido e atualmente também estou grávida. Obrigada por compartilhar sua experiência. Me ajudou muito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.